terça-feira, 25 de outubro de 2011

Tupia de Coluna

A tupia de coluna é uma das maquinas mais versáteis numa marcenaria, pois permite que façamos os mais diversos acabamentos nas laterais das madeiras assim como cortes redondos, retos, frisos, machos e fêmeas para encaixe e união de tábuas e mais uma infinidade de desenhos e ou escavações para as mais diversas aplicações.
É uma maquina que apesar de “pequena” é extremamente forte e robusta agüentando o trabalho duro nos mais diversos tipos de madeiras, e uma de suas maiores características positivas além do seu trabalho, é a segurança em se trabalhar com ela, ao contrário da tupia de bancada que é a primeira colocada no ranking das maquinas decepadoras de dedos, as estatísticas mostram que a cada 10 pessoas com os dedos decepados em acidentes de trabalho, 5 são na tupia de bancada.

Existem três maneiras de se trabalhar com uma tupia de coluna, a primeira e que é a mais difícil é usar ela a mão livre, porém existem pessoas que são extremamente habilidosas e fazem dela como uma caneta na mão de um artista e desenham em madeira trabalhos fantásticos, mas é uma minoria que consegue fazer esta proeza. A segunda versão de trabalho é usando gabaritos dos mais diversos tipos quer sejam comprados prontos quer sejam fabricados em metal ou madeira exclusivamente projetados para a sua finalidade. Existem centenas de tipos de gabaritos, para cortes retos, cortes redondos, ovais, em curva e até gabaritos que acompanham o formato da madeira quando se trabalha com toras de madeira (tipo bolacha de madeira)




E a terceira e mais fácil versão para se trabalhar a madeira numa tupia de coluna, principalmente em cortes retos, na confecção de encaixes macho e fêmea e na utilização de abrir sulcos entre outros, é o sistema de usá-la invertida em uma mesa, pois assim conseguimos 100% de estabilidade da maquina que se torna estacionária sendo que assim é a madeira que se move e não a maquina, ao contrário das duas versões de uso apresentadas acima.

Existem diversas maneiras de se fazer uma mesa estacionaria para que a tupia de coluna trabalhe invertida, podem ser compradas prontas (metal) ou serem fabricadas em madeira, o principal neste tipo de mesa é que primeiro o tampo seja totalmente reto e nivelado para não haver oscilações na altura do corte e segundo que a máquina tenha um sistema de elevador manual ou elétrico onde à pinça possa subir totalmente para fora e baixar o suficiente para receber se for o caso o uso de bits restos.

Eu uso uma mesa da Wolfcraft RT 540 importada da Alemanha, infelizmente estas mesinhas não são mais fabricadas, mas existem outros modelos a venda no mercado bem como a possibilidade de se construir uma em metal nos moldes desta que em minha opinião é uma das melhores do mercado.

Eu aconselho a todos que forem iniciar com uma tupia de coluna que primeiro procurem uma marca mais em conta para saberem se vão se adaptar a maquina, não compre a melhor e a mais cara antes de saber se você vai dar conta do recado, não estou querendo assustar ninguém, mas a máquina apesar de ser muito simples de se trabalhar exige grande habilidade do operador, por isto mesmo a mesa será uma grande ajuda nos trabalhos idealizados, e é impressionante como o rendimento da tupia na mesa se agiganta em relação a trabalhar com ela na mão livre.

Este sistema de elevação foi desenvolvido em cima da marca Black & Decker, fui obrigado a radicalizar nela e depenei tudo que podia para adaptá-la ao sistema de elevação. Usei alguns pedaços de cantoneira, mais uns pedaços de ferro barra chata, um toco de barra roscada, duas porcas e um disco-manípulo de três pontas, tudo comprado num ferro velho e ao custo de R$ 12,50, mais 8 eletrodos.

Fiz uma caixa quadrada com as cantoneiras, depois um suporte com quatro pinos que se encaixam perfeitamente nos quatro orifícios da tampa superior da tupia e que neste caso esta para baixo e dois pinos neste ainda que corram num trilho para que ela suba e desça, um desses quatro trilhos é parafusado e não soldado caso seja necessário retirar a maquina para alguma manutenção. A fixação no tampo da mesa é feita por quatro parafusos com porca que vem junto com a mesa.

Apesar de funcionar muito bem o elevador ainda não está totalmente acabado, ainda falta dar um repasse nos cordões de solda e dar uma boa pintura para que o ferro não enferruje.

Futuramente postarei mais detalhes com mais fotos e todas as medidas e matérias usados e um passo a passo de como fazer um destes. Ainda falta fazer uma bancada para esta mesa.

Espero que tenham gostado, pois gastei centenas de neurônios pensando em como fazer ele












Nenhum comentário:

Postar um comentário